Sala de Imprensa - Notícias

Mais de mil postos de trabalho deixam de existir na região de Itapeva (SP)

Dados são do Caged de janeiro a maio de 2018

No dia a dia, nota-se que as oportunidades de emprego estão ficando cada vez mais escassas. O fato se torna ainda mais alarmante quando compara-se os dados.

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), entre janeiro e maio de 2018, 1.370 postos de trabalho deixaram de existir na base territorial atendida pelo Sindicato dos Empregados no Comércio (Sincomerciários) de Itapeva (SP).

Agropecuária, Extração Vegetal, Caça e Pesca foram os setores com mais queda no número de trabalhadores, um total de 2.301 vagas a menos. A seguir, entre o saldo de contratações e desligamentos, vem o Comércio, com 50; Serviços Industriais de Utilidade Pública, com 21; Extrativa Mineral, com 14 e Indústria de Transformação, com o saldo quatro.

No comércio, os municípios com maior redução de vaga de emprego foram Capão Bonito com 43, seguido por Itapeva com 30 e Itaporanga com 23 menos vagas de trabalho no comércio.

De acordo com o Sincomerciários, os dados são preocupantes. “A atual economia do país é o principal fator destes dados”, destaca o sindicato.  

Segundo a instituição, em época de eleições, é importante saber quais as propostas para geração de emprego de cada candidato e cobrar incentivos por parte das Prefeituras e políticos em sua totalidade para a vinda de empresas à região.

Novas oportunidades -  Em contrapartida, o setor de Serviços gerou 595 novas oportunidades, Adm pública 268 e Construção Civil, 157. No comércio, as três cidades que mais abriram novas postos de trabalho foram Ribeirão Branco com 44, Taquarivaí 12 e Itaberá com oito. No geral, na região, quem mais contratou foi Itaberá com 217 novos postos de trabalho, com sua maioria no setor de serviços (193) e Taquarituba, que gerou 111 novos empregos, principalmente no setor da construção civil que teve 161 vagas de crescimento.





 




Atualizado em 18/07/2018