Gêneros alimentícios | Ribeira

Pisos Salariais do comércio varejista de gêneros alimentícios - 2018/2019

Apiaí, Barão de Antonina, Bom Sucesso de Itararé, Barra do Chapéu, Capão Bonito, Coronel Macedo, Guapiara, Iporanga, Itaberá, Itaóca, Itapeva, Itapirapuã Paulista, Itaporanga, Itararé, Nova Campina, Ribeira, Ribeirão Branco, Ribeirão Grande, Riversul, Taguaí, Taquarivaí e Taquarituba (estado de São Paulo)

 

CCT assinada em 15/01/2019

Pisos salariais vigentes retroativo à 01/09/2018 com base a jornada semanal de 44 horas

 

Tabela I - Empresas não enquadradas no “Simples Nacional” ou com mais de 35 empregados vinculados.:

Tabela II - Microempresas (ME's) que tenham entre 11 a 35 empregados vinculados e Empresas de Pequeno Porte (EPP's) com até 35 funcionários vinculados, ambas enquadradas no “Simples Nacional” e com o REPIS vigente:

Tabela III - Microempresas (ME’s) enquadradas no “Simples Nacional” e com REPIS vigente que tenham até 10 empregados vinculados:

Função

Tabela I

Tabela II

Tabela III

Balconista, vendedor, serviços administrativos, atendimento ao público e básicos para a manutenção do ambiente de trabalho no comércio

R$ 1.346,50

R$ 1.246,50

R$ 1.200,00

Faxineiro/Copeiro/Estoquista/Repositor

R$ 1.219,00

R$ 1.147,50

R$ 1.122,00

Movimentador financeiro/Caixa

R$ 1.377,00

R$ 1.298,50

R$ 1.246,50

Office-boy/Empacotador

R$ 1.065,50

R$ 1.065,50

R$ 1.065,50

Garantia de Comissionista Puro

R$ 1.537,50

R$ 1.363,50

R$ 1.306,00

Salário de ingresso no 1º emprego no comércio (Permanecerá neste piso por no máximo 6 meses) 

R$ 1.170,60

R$ 1.115,00

R$ 1.073,50

Funções não citadas acima - Categoria diferenciada

R$ 1.419,10

R$ 1.313,00

R$ 1.259,40

Quebra de caixa 6% do salário fixo - Obrigatório 6% do salário fixo - Obrigatório 6% do salário fixo - Obrigatório

Empregados das categorias profissionais não citadas (categoria diferenciada), exceto quando houver CCT firmada entre o Sincovaga e os profissionais da categoria diferenciada, devidamente regularizados junto ao Órgão Competente, como é o caso dos motoristas.

 O Microempreendedor Individual (MEI) poderá contratar empregado na forma da lei com remuneração não inferior a um salário mínimo nacional, respeitando a demais cláusulas desta CCT.

O piso salarial de ingresso será devido aos novos contratados em seu 1º emprego no comércio, pelo período de até 180 (cento e oitenta) dias após a contratação. Depois deste prazo, os empregados passarão a se enquadrar nas funções de piso salariais superiores previstas nas tabelas “I”, “II” e “III”, seguindo o enquadramento da empresa.




Atualizado em 16/01/2019